terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Vidas Inventadas


Batata da Flora: «uma história de amor entre uma fã e um astro de cinema, em poesia.»


Ela sempre soube que seria assim:
Ao olhar aqueles olhos tão tristes
Perderia o fôlego e até a fala
Seria o fim do anonimato
Que a preservara do seu próprio fim.

Ela sempre soube que seria assim:
Ela o queria fora das telas
Longe de holofotes e de pré-estréias
À luz de velas, apenas os dois
Por um dia que fosse, ou seria o fim

O fim dos pôsteres e filmes na sala
Do templo esculpido em alabastro
Para adorar seu querido astro
Com fanático desvelo, dia após dia
Sabia que a um choque não sobreviveria.

Ela sempre soube que se chocaria
contra a parede sólida de realidade
E com um aceno, ele despedira
Todas as chances de sair das telas
Para levá-la uma noite até sua casa

Ele seguiu pelo vermelho carpete
Deixando para trás poeira e confete
E a certeza no coração da menina
Que ali, para ela, ficava a tarefa
de reinventar seu próprio destino.

.bia de barros.

Minha batata [queimando]: Poeta de rua conquista o coração de uma menina com suas rimas.

9 comentários:

bia de barros disse...

(minha batata é uma homenagem ao ex-morador de rua, atual poeta e dramaturgo, Nicomedes Oliveira)
*

darsh. disse...

só você mesmo poderia ter feito essa batata hahaha

;*;*;*

Anaa Bia ;) disse...

Que lindo, amei *-* E me identifiquei, pqe também tenho um ídolo e nunca vou poder conhecê-lo, uma vez que ele já morreu :/

Mas é a vida...

beeijo ;*

Júnior de Paiva / Dish disse...

Dona Bia e suas palavras saborosas de serem lidas, como uma batata quente com manteiga em cima...
Adorei!
Feliz 2009 moça!
Beijo!

Poeta Eterno disse...

Pelo que entendi... é um blog com uma proposta interessante...

Bem, agora entendo melhor de onde vc tirou o tema, bia.

Miguel Barroso disse...

Muito boa a batata



Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

Lari Bernardi disse...

Ficou lindoo!!

;*

Júnior de Paiva / Dish disse...

:D

30 e poucos anos. disse...

Muito belo e harmonico...gostei